sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Escolhas


Tudo na vida se resume a escolhas, certo?
Essas escolhas determinam o nosso destino, o nosso futuro...
Se eu hoje fosse pela direita em vez de ir pela esquerda não tinha encontrado aquela amiga e ficado a falar com ela 3horas e chegado tão atrasada ao emprego que fosse despedida e por isso tivesse que procurar outro emprego que se revelaria o sonho de uma vida e... (nada disto aconteceu...divago.)
Mas deu para entender, certo?
Só que quando a escolha é "vou pela esquerda ou pela direita?" não parece importante...
Mas se a escolha for "digo qualquer coisa ou não digo nada?" parece logo que tudo muda!
"esforço-me e luto pelo que quero, ou não faço absolutamente nada porque se tiver de ser meu há-de cá vir ter?" fuck... baralham-me as ideias.
Hum... se eu falar pode correr ou muito bem, ou estragar tudo, ou simplesmente não mudar nada.
E agora? Aquilo que eu faço ou não faço pode decidir basicamente o resto da minha vida (ou estarei a dramatizar e com muito pode decidir os próximos 4meses...? ou as próximas 4horas...)
As minhas dúvidas existenciais e afins é que acabam por me lixar a vida... ou com muito por me fazer perder grande parte do meu tempo. Significará isto que devia ceder aos meus impulsos? (mais ainda???) shit!

Aceitam-se sugestões.

22 comentários:

Então oh coisinha? disse...

Olá!

Olha miúda, passo exactamente pelo mesmo conflito interior...
O exercicio que tenho tentado fazer é este, se sinto que já fiz tudo o que tinha a fazer, (isto em situações em que a decisão não depende só de mim)em que está tudo claro para toda a gente e em que dei o melhor de mim, deixo as coisas na mão do destino, o que tiver de acontecer, acontece..
Agora, se acho que de facto as situações não estão bem resolvidas e esclarecidas e que ainda posso fazer algo e que as coisas dependem em grande parte de alguma decisão minha e eu quero mesmo determinada coisa, tento lutar...e se não o fizer pelo menos deveria...

Espero ter ajudado em alguma coisa.

Beijinhos :)

cat in a bag disse...

"esforço-me e luto pelo que quero, ou não faço absolutamente nada porque se tiver de ser meu há-de cá vir ter?"

Há kem diga "quem espera sempre alcança" e tens a versão inglesa k diz praticamnt o mesmo "good things come to those who wait". Por um lado é verdade, mas não é suposto esperar-se sentado!
Se toda a gente fizesse isso todas as vidas ficavam paradas, pk afinal, nos ao fazermos uma escolha (eskerda ou direita) podemos ir influenciar as escolhas de outra pessoa (kek acontece a amiga c kem fikas a falar esse tempo todo?).

Percebes uk kero dizer?

Fica bem
;)

Maria Inês disse...

então oh coisinha?:
Pois, entendo... a questão é exactamente essa... eu não sei se já fiz tudo o que tinha a fazer ou não. Já fiz muito (e ele também) mas em alturas diferentes, parece que temos timings trocados... ando a tentar fazer algo há tanto tempo que já não sei se é melhor tentar ou parar de insistir... às vezes quando tento algo acontece algo, outras vezes não acontece nada e outras vezes ainda nos chateamos.
É do estilo, talvez ainda acabemos juntos, quando tivermos 60 anos! Bah...

cat in a bag:

Pois, o que fazemos não nos influencia só a nós, também influencia a pessoa com que "o fazemos".
Esperar sentado não é mais fácil, para mim custa mais. Mas às vezes é pior... Por vezes é mesmo melhor não fazer nada durante um tempo. Enfim, acho que há de ser sempre a eterna questão. Se calhar se soubessemos o que ia acontecer sempre que faziamos uma escolha a vida perdia metade da piada... =)


Beijinhos e obrigada*

Então oh coisinha? disse...

Nem imaginas o quanto eu te percebo e há quanto tempo ando nisto de fazer tanto e de me parecer já uma saga interminável...Já tentei desistir mas não consigo esquecer porque resta ainda muita esperança despositada ali....enfim....tens a minha solidariedade... :S


Beijinhos :)

Então oh coisinha? disse...

*e também não sou nada do tipo "sitting, waiting, wishing" e às vezes isso pode resultar tanto positivamente como negativamente...tem mto a ver, como tu disseste, com os timings...é uma grd chatice..

ZaniNE disse...

Cá por mim tentava um últimato, do género: eu quero e tu também, é agora ou nunca! Isso de timings trocados é uma questão de acertarem o relógio um pelo outro!?

Mas isso sou eu, e eu sou assim... Espero que decidas logo, porque a espera também não te faz bem.

Beijoquinhas.

P.S. Aqui p'rás curvas, if U need me to...

medusasss disse...

falar ou não falar é sempre extremamente difícil, depende de como encaras as coisas, se tens tacto para expores as coisas sem te comprometeres.
Se não tiveres problemas com isso, talvez seja melhor falares... mais depressa nos arrependemos da palavra não dita, do que de aquilo que dissemos quando achávamos que tinhamos razão.

Pensa na coisa a longo prazo, e logo determinas se vale ou não a pena!

Beijinhos, e boa sorte!

homem bolo disse...

Eu por acaso sou também importunado pelo mesmo problema "e se, e se, e se", como toda a gente deve de certeza ser, a única solução que eu adoptei, que provavelmente para muitos seria algo muito complicado de adoptar (devem também ignorar se já forem felizes a sua maneira), foi simplesmente aceitar o que aconteçe e tentar ao maximo não me deixar afectar, claro que é dificil, decidi antes fazer o que me der na cabeça e o que aconteçer, aconteçeu, decidi também não pensar muito nos estragos, acredito que não os resolve, simplesmente esqueçe-los, passar por cima, tento também convencer-me de que não há destino, além de muitas vezes querer que esse mesmo destino que acredito não existir me dé algo de bom, mas tento antes pensar que ele não é real, para ter a certeza que sou livre, para não dever as minhas vitorias a ninguem, por isso faço o que poder por mim e pela minha felicidade, o que aconteçer de bom por acidente, sera bem vindo na mesma, mas o que realmente tento fazer é basicamente sorrir e seguir, tentar ser feliz e tentar ao maximo não me deixar afectar por nada.
Só espero que tenha ajudado, se não ajudei, apaga o coment e vai-me ofedendo até esqueçeres o que escrevi, vá fica bem :)

Anónimo disse...

Sou uma apologista das decisões e pouca dada a essas coisas do destino...
Mas se pensares bem, o simples facto de ficares quieta é já uma decisão/acção ou lá o que seja, afinal, apenas tu te decidiste por não fazer nada!
Por mais assustador que possa parecer, nós, ainda que não totalmente, tecemos a nossa vida e directa ou indirectamente, a vida dos outros!
Por isso, qual Deus, tece a tua vida e a vida de quem gostas! (Também não digo pra te tornares uma ditadora, certo, de sickos já todos tamos fartos!)
E se gostas assim tanto de Muse, aqui vai uma música que, embora não mostre as felicidades poéticas do amor, mostra o lado mais humano desse sentimento! Space Dementia...

Maria Inês disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Inês disse...

então oh coisinha?

Oh, essa esperança... como a conheço....
Esta também já parece uma saga interminável! (o problema é que não sei mesmo como, quando e se vai acabar...)
Eu preciso de fazer qualquer coisa por isto se não dou em doida! Mas e se o que faço surtir efeitos negativos?! Estes "ses" estão mesmo a dar-me cabo da cabeça... se ao menos só dependesse de mim (e dele... e não houvesse mais gente envolvida...)
Bah!


Zanine:

Eu sei o que quero... mas não sei se ele sabe. E se sabe então parece-me que neste momento (timings...) não me quer a mim. Sim, porque não está sozinho e isso é que me lixa! Se estivesse eu já tinha "atacado" sem pensar (pelo menos tanto) nas consequências. Ai a minha vida...
(depois da multa estou em contenção forçada de custos... mas depois havemos de ir ao sushi...) =)


Med:

Pois... em relação a este dia específicamente acabei mesmo por falar. Sem me expor, sem correr riscos. Correu bem, conversa curta, que não chegou a lado nenhum, mas pelo menos mal não correu, e falei!
No sábado vi o que queria e o que não queria... mas essa parte tento ignorar e pronto, logo se vê como corre o resto da semana. (sei que vou ficar a olhar a rua todos os dias às 19h com a esperança nem que seja de ver, e pareço ou uma obcecada ou uma pita de 15 anos, mas ver é melhor que nada.


homem bolo:

Isso para mim não resulta... ficar sentada à espera que aconteça... eu sei que é uma opção, uma das escolhas, e por vezes tenho que a escolher mais que não seja porque no dia anterior escolhi ir e falar e hoje tenho de me controlar...
Mas a parte de ceder aos impulsos sem pensar nos estragos ou importar-me com eles também não dá. Se não fosse uma coisa importante, dava pra arriscar assim, mas para mim é importante demais! Mesmo que não chegue onde quero não posso perder o que já tenho! Não posso mesmo... (diz que 7 anos não são 7 meses...)


anónimo:

É verdade... mas últimemente tento pensar em como essas escolhas afectam a minha vida e não a dos outros (tive de começar a ser um pouco mais egoísta, até porque a maioria das pessoas é, e se eu só pensar nelas acabo por me destruir... pode parecer exagero e isto sou eu a mentalizar-me, porque se essas pessoas forem pessoas que conheço e de quem gosto as coisas não funcionam bem assim...) enfim...
Obrigada pela sugestão! também gosto dessa! =)


Beijinhos a todos e obrigada!

Então oh coisinha? disse...

Eu penso que tu só te deves preocupar em lutar pela tua felicidade. A outra pessoa que está com ele, está a fazer o mesmo! E nestas coisas é sempre cada um por si.
Vai em frente e luta!:)

Maria Inês disse...

Tens razão. Eu tenho é que me preocupar comigo... e com ele, no sentido em que se esticar posso estragar tudo... enfim.
Obrigada querida! =)

Então oh coisinha? disse...

Go girl! :) Sem hesitações!força!

Valex disse...

Pensa em ti, pensa em projectos pessoais, principalmente agora que vai haver um espaço destinado a esse desenvolvimento pessoal.

Estás primeiro do que qualquer coisa, de qualquer outra pessoa, principalmente de um rapaz ou de alguém que te faz sentir ao mal.

Força Mary!*

Maria Inês disse...

então oh coisinha?

Thanks*


Valex:

O problema é quando essa mesma pessoa também me faz sentir tão bem...
Enfim, talvez paredes azuis e brancas melhorem os meus dias.


Beijinho queridas!

Valex disse...

Compreendo esses sentimentos, sei como eles são...

Sem duvida que vão melhorar os teus dias, também anseio por uma vida nova com paredes azuis e brancas.

Beijo*

Vivianne in Berlin disse...

Azuis e brancas... as paredes. 13 dias, só.

Maria Inês disse...

Count down...

Anónimo disse...

É certo e sabido que quem escolhe acaba sempre por perder... mas adiante...

O grande problema das relações humanas é, essencialmente, o "simples" facto de serem imprevisíveis (se pensares bem, enquanto estás naquela do falar ou não falar, podem muito bem "acontecer-te" outras pessoas, outras situações ou outros projectos...). O outro grande problema das relações humanas é o facto de serem humanas. Não há receita infalível para esse tipo de dúvidas existenciais, mas há que tentar "salvar o dia" da melhor forma possível, tentando viver da forma mais intensa e "correcta" possível.
Às vezes achamos que a vida tem de seguir essa linha recta que a "sociedade", em geral, acha correcta. Mas nem todos desejamos a porra de um Prius, uma vivenda com uma cercazinha branca, um cão chamado jack a brincar com um filhote chamado Martim ... a vida real vai além dessas cenas todas e coitados daqueles que se contentam com sonho tão perfeccionista.
A perfeição não existe, da mesma forma que não existem pessoas perfeitas...e muito menos atitudes perfeitas.

O meu conselho, se o permites, é que sigas o teu instinto e dês um passo em frente, sempre com uma gargalhada (nem que seja interior...)e com a consciência de que se, por acaso, erraste... deste o teu melhor...

Por outro lado lembra-te que ninguém é substituível (nos seus defeitos, virtudes e aquilo que representa para os outros... e tu sabes isso melhor do que ninguém...)

Tem calma. respira fundo... não penses e da próxima vez que te deparares com o teu "drama" avança ou não, mas lembra-te de nunca deixares de ser feliz... e de pensar na criatividade que vai emergir desse atelier de paredes azuis e brancas...

Maria Inês disse...

Anónimo... já vi que me conheces... podias ter assinado.
Tudo verdade... =)

Anónimo disse...

eu assino sempre, mas nem sempre em linha recta...

Força!